Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

| September 22, 2019

Scroll to top

Top

No Comments

De bicicleta, cabeleireiro oferece salão itinerante em Porto Alegre

Via: G1

A cena é inusitada. O cabeleireiro Jair Bueno, 41 anos, percorre as ruas da Zona Sul de Porto Alegre em uma bicicleta com um salão de beleza móvel acoplado, oferecendo seus serviços a plenos pulmões. Várias cabeças se viram, curiosas. Alguns experimentam a novidade. E é assim, num esforço diário como profissional itinerante, que Bueno sustenta a casa onde vive com a mãe aposentada, no Bairro Glória, também na capital do Rio Grande do Sul.

Com banquinho, espelho, máquina, navalha e tesoura, ele atende a domícílio em bairros como Serraria, Guarujá e Vila Nova desde 2008, quando perdeu o emprego em um salão de Alvorada, na Região Metropolitana. “Estava lá há 12 anos, mas o chefe ficou doente e fechou a sala. Depois disso, não consegui outro trabalho”, recorda.

Observando os vendedores de rua que costumam passar pelo lugar onde mora, veio a ideia. “Ouvia pessoas oferecendo ovos, abacaxi, e achei que deveria fazer o mesmo com os meus serviços”. Assim, projetou o carrinho, onde cabem todos os seus apetrechos, e mandou fazer em um amigo serralheiro por cerca de R$ 2 mil. A velha bicicleta serve para puxar a estrutura de quase 70 quilos, faça chuva ou faça sol.

“No início foi difícil, tinha vergonha e cansava demais. Agora já me acostumei. Vou aos lugares onde já tenho clientes e anuncio no grito. Todo mundo sabe que estou chegando”, brinca ele, que também já tira de letra o trânsito de ruas e avenidas movimentadas de Porto Alegre. Diariamente, ele chega a percorrer mais de 30 quilômetros pedalando.

O cabelereiro diz que consegue tirar até R$ 1,5 mil por mês e nem pensa em voltar ao estilo tradicional de trabalho. Talvez, mais para frente, compre uma moto. “O pessoal me elogia muito, porque trabalho domingos e feriados, quando os outros não atendem. E isso me incentiva. É melhor ser autônomo.”

Cliente fiel

Corte de cabelo rua Porto Alegre (Foto: Roberta Lemes/G1)
(Foto: Roberta Lemes/G1)

O frentista Denis da Silva D’Ávila, 30 anos, é cliente fiel há três anos. “É o melhor corte que já tive na vida”, conta. O atendimento foi feito em menos de 20 minutos, no posto de combustíveis em que ele trabalha, durante o intervalo. “É muito prático, não preciso nem perder tempo com o deslocamento”, comemora o rapaz, que é torcedor do Inter e não deixou de usar uma capa do time do coração durante o processo.

Aliás, para homenagear gremistas e colorados, um mural na parte externa do carrinho-salão traz imagens dos cliente que registraram a paixão pelo clube com desenhos no couro cabeludo.

Os cortes de Bueno custam entre R$ 5 (masculino) e R$ 10 (feminino). Cortes com desenhos especiais também custam R$ 10.

Submit a Comment

*