Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

| September 22, 2019

Scroll to top

Top

No Comments

Programa formará jovens ciclistas urbanos em São Paulo

Se um trânsito mais pacífico depende da educação de quem o compartilha, os moradores da cidade de São Paulo podem se animar. Foi lançado no sábado, 31 de março, o programa Escolas de Bicicleta, iniciativa inédita que irá formar gratuitamente jovens ciclistas urbanos.
O lançamento contou com um passeio ciclístico de seis quilômetros pelas ruas de Heliópolis (zona Sul), um dos locais onde o projeto será implantado. Além do Centro de Convivência Educativo e Cultural do local, as Escolas de Bicicleta serão aplicadas nos 45 Centros Educacionais Unificados (CEUs) da cidade e envolverão inicialmente 4,6 mil alunos.
De acordo com a Secretaria Municipal de Educação, responsável pelo projeto, as escolas serão o centro de um programa de educação e sustentabilidade que pretende ensinar aos jovens desde noções de equilíbrio até regras de trânsito e manutenção das bicicletas.
A previsão é que até o final de 2012 cada centro abrigue 100 alunos ciclistas, entre 12 e 14 anos. Lá eles terão acesso a bicicletas ecológicas feitas de bambu além de paraciclos para o estacionamento das bikes e monitores treinados pela Secretaria, pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e pelo Instituto Parada Vital.
No início, os alunos ciclistas aprenderão a fazer o trajeto casa-CEU-casa em comboios de 15 a 25 estudantes. Depois de aprender as principais lições, eles sairão pelas ruas do bairro, em ciclo-rotas criadas por uma equipe do CEU e aprovadas pela CET.
Além das bikes de bambu, customizadas e inéditas no país, serão entregues capacetes, iluminação, colete refletivo, bagageiro e alforje, buzina, espelho retrovisor e cadeado para cada aluno. A Secretaria Municipal de Educação investiu R$ 3,1 milhões na implantação do programa e para a manutenção será destinado R$ 1,4 milhão por ano.
Metodologia
Para formar os futuros ciclistas urbanos, os organizadores do projeto formularam uma metodologia conjunta para treinar e capacitar monitores que atuarão diretamente com os alunos nos CEUs. Serão 92 monitores ao todo, sendo dois por unidade.
Além de conhecimentos sobre legislação, normas e regras de trânsito na cidade de São Paulo, os monitores terão curso de primeiros socorros, aprenderão sobre a mecânica das bikes e estarão capacitados a ensinar o aluno a pedalar, ter equilíbrio, autonomia com as mãos, entre outros aspectos cognitivos.
Nas aulas, os alunos receberão lições sobre legislação de trânsito, transporte sustentável, estilos e modalidades de bicicleta, oficina de mecânica e montagem, história e cultura desse meio de transporte, educação ambiental, e até orientações sobre liderança e mediação de conflitos.
Terminadas as anotações é hora de subir na bike e treinar equilíbrio, postura e resistência. Até mesmo a criança que nunca andou de bicicleta poderá se tornar um aluno ciclista.
Apoio de especialistas
Para pôr a ideia em prática, a Secretaria Municipal de Educação teve como consultor o dinamarquês, especialista em mobilidade urbana, Mikael Colville-Andersen. Ele foi o criador do conceito Copenhagenize, uma proposta para inspirar as cidades de todo o mundo a se tornarem amigas dos ciclistas, como é a capital da Dinamarca, onde 37% da população (500 mil pessoas) usa a bicicleta como meio de transporte todos os dias.
Segundo Mikael, com este novo programa, as crianças e jovens criarão a “cultura da bicicleta emergente”, ou seja, as bicicletas são um símbolo daquilo que se deseja para a cidade. “Não é uma questão de tirar todos os carros da rua, mas de promover o retorno das bicicletas, pela saúde das crianças, para transformar as comunidades em lugares melhores para se viver.” Para ele, “o programa vai inspirar muitas cidades ao redor do mundo”.
Para participar
Os interessados em participar do programa deverão preencher alguns critérios, como ser aluno da escola de Ensino Fundamental do CEU, ter entre 12 e 14 anos, morar no entorno da ciclo-rota indicada, e ter o consentimento dos pais. Ao final de um mês de aula, cada aluno receberá um diploma, entregue na presença dos pais, para que possa, a partir daí, fazer o trajeto diário casa-CEU-casa de bicicleta com seus amigos.
A comunidade escolar também poderá participar do projeto por meio de outras atividades, como a gincana ecológica de coleta e reciclagem de garrafas PET. Diariamente, os alunos e os pais poderão levar garrafas PET para descartar em contêineres.
Uma vez por mês este material será triturado, pesado e retirado do CEU para sua correta destinação. A cada pesagem, 20 bicicletas serão entregues para o CEU que arrecadou a maior quantidade de PETs. Ao todo, quatro CEUs receberão 20 bicicletas a mais, por meio da gincana, além das 100 previstas pelo programa.
Fonte: EcoD http://www.ecodesenvolvimento.org.br/posts/2012/abril/programa-escolas-de-bicicleta-formara-jovens

Submit a Comment

*