Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

| September 22, 2019

Scroll to top

Top

No Comments

Lesões mais comuns no ciclismo

 No ciclismo em geral temos que separar muito bem dois tipos de lesões, as traumáticas, por quedas, e as causadas por esforços repetitivos.
É claro que nas quedas a maior parte das lesões importantes são as contusões (batidas) que ficam apenas com hematomas e edema (inchaço), as escoriações que são os ralões, e finalmente as fraturas das mais variadas, costelas, clavícula, vértebras, e muitas outras, dependendo apenas da forma como o ciclista cai e do estado do local por onde ele está passando. Quanto à estas lesões não temos muito o que fazer, apenas tomar o máximo de cuidado com muita atenção e arriscando o mínimo possível, principalmente em treinos que não tem nada em jogo.
Já as lesões de repetição ou por esforços repetitivos se caracterizam por serem na maior parte crônicas, pois geralmente ocorrem por excesso de treinos ou mau posicionamento da bicicleta ao ciclista ou ainda pelos dois fatores somados que é o mais comum. São lesões como as tendinopatias (tendinites) patelares, do calcâneo, lesões musculares em panturrilhas e na musculatura da coxa e em alguns casos dor lombar e na cevical. O desgaste das articulações também pode ocorrer quando o ciclista pedala por anos com desvios articulares importantes, um exemplo disso é a questão de pedalar com os joelhos rodados para dentro que pode provocar desgastes da cartilagem e/ou menisco do joelho.
Para evitar esse tipo de lesão existem algumas regras básicas, mas infelizmente não existe uma fórmula que sirva para todos, pois as medidas são muito pessoais, como diz Andy Pruitt em seu livro (Andy Pruitt´s Complete Medical Guide For Cyclists), “Os ajustes da bicicleta são como um casamento entre ela e o Ciclista”.
Estes ajustes tem nome, é o Bike Fit, que se torna cada vez mais importante, não só para o profissional, mas para qualquer um que queira ter conforto ao pedalar e assim evitar lesões, que é o mais importante.

O Bike Fit não visa só a melhora da performance, isso é uma consequência desses ajustes que são feitos para melhorar o conforto. Agora, é importante frisar que apenas fazer os ajustes e esperar que as lesões se resolvam sozinhas pode ser um erro grave, pois quando alesão já existe ela tem que ser tratada, treinar com lesão, mesmo tendo feito o Bike Fit pode agravar o quadro.

fonte: www.cm2fisioterapia.com.br

Submit a Comment

*