Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

| July 5, 2020

Scroll to top

Top

One Comment

Faixa Exclusiva para Bikes na Paulista

Reportagem de VANESSA CORREA / ADRIANO BRITO DE SÃO PAULO - Folha de SP

Projeto prevê via exclusiva para bicicleta na avenida Paulista

Cartão postal de São Paulo, a avenida Paulista, que recebe cerca de mil ciclistas por dia, comporta uma ciclovia?

A discussão ganhou fôlego após a morte da bióloga Juliana Dias, 33, atropelada por um ônibus enquanto pedalava na via semana passada.

Responsável por projetos como a ciclorrota de Santo Amaro (zona sul) –o trecho do Brooklin já foi inaugurado– a empresa TCUrbes propõe uma ciclovia ali. A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), porém, afirma não ter esse plano.

O órgão diz que a via oferece risco às bicicletas e sugere caminhos alternativos, como as paralelas rua São Carlos do Pinhal e alameda Santos.

Já para a TCUrbes, a Paulista poderia ter a velocidade máxima reduzida de 60 km/h para 40 km/h. Com isso, diz, as pistas para carros poderiam ficar mais estreitas, abrindo espaço para a ciclovia.

Além disso, os ônibus ficariam no centro da avenida.

Especialistas consultados pela Folha aprovam, em geral, a ideia da ciclovia na Paulista, mas fazem ressalvas.

O planejador urbano Thiago Guimarães não concorda com a proposta de colocar os ônibus ao centro, pois os usuários teriam de atravessar a via para chegar à calçada.

Para ele, o plano deveria ser mais ousado e propor um sistema de VLTs (veículo leve sobre trilhos), pequeno trem urbano que é uma espécie de metrô de superfície, ou mesmo um “bonde” moderno.

Já o especialista em engenharia de transportes Sérgio Ejzenberg gosta da ideia de um corredor central de ônibus, mas avalia que uma ciclofaixa (quando não há separação física da pista) é mais indicada. “[Uma ciclovia] será tomada por pedestres nas esquinas, enquanto aguardam o sinal”, avalia.

O urbanista Alexandre Delijaicov, da FAU-USP, diz que o projeto é “excelente”, mas que iria além, deixando apenas duas faixas para carros –mesma opinião de Guimarães.

Ao todo, a cidade tem hoje pouco mais de 50 km de vias exclusivas para bicicletas (entre ciclovias e ciclofaixas).

 

Comments

  1. Nelson Vasques

    Achei tanto uma como a outra uma ótima ideia, se é para facilitar e evitar novas mortes eu concordo.

Submit a Comment

*